• ENGENHARIA DE COMPUTAÇÃO - BACHARELADO
  • CALENDÁRIO
NOME DO CURSO ENGENHARIA DE COMPUTAÇÃO NÍVEL GRADUAÇÃO GRAU BACHARELADO INICIO DO CURSO 03/2004 CONCEITO DO CURSO ENADE:3 CEE/AM:CURSO AINDA NÃO AVALIADO PERIODICIDADE SEMESTRAL INTEGRALIZAÇÃO 10 PERÍODOS
SELECIONE O MUNICÍPIO
UNIDADE ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA
TURNO INTEGRAL MODALIDADE PRESENCIAL NÚMERO DE CRÉDITOS 293 CARGA HORÁRIA MÍNIMA 4965 EM EXTINÇÃO? NÃO PARFOR? NÃO CÓDIGO DO INEP
TURNO INTEGRAL MODALIDADE PRESENCIAL NÚMERO DE CRÉDITOS 240 CARGA HORÁRIA MÍNIMA 3885 EM EXTINÇÃO? NÃO PARFOR? NÃO CÓDIGO DO INEP
  • Periódicos da CAPES
  • Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior

APRESENTAÇÃO

SOBRE O CURSO Objetivo Geral

Formar profissional qualificado, para atuação nas áreas do campo da Engenharia de Computação.

Objetivos Específicos

• Formar profissional que possa atender o mercado de imediato, com capacidade para entender e desenvolver novas tecnologias;

• Proporcionar aos seus alunos condições adequadas para que adquiram uma forte formação básica nos primeiros anos de curso;

• Proporcionar aos alunos meios adequados para que, além da formação básica possam tornar-se especialistas em suas áreas de interesse;

• Proporcionar aos alunos o contato direto com as áreas de atuação do engenheiro, através de atividades de extensão, como visitas técnicas, estágios e atividades de iniciação científica, para que tenha maior conhecimento da realidade do setor.

• Desenvolver nos alunos capacidade de trabalho independente e atitude pró-ativa e que seja apto a integrar equipes multidisciplinares de trabalho;

• Proporcionar uma atmosfera acadêmica saudável, construtiva e de companheirismo, tanto nas salas de aula quanto nos laboratórios, para que o aluno tenha condições de progredir de forma ampla em todos os aspectos da vida profissional, seja através dos conteúdos de suas disciplinas, dos ensinamentos e exemplos apresentados pelos professores, e na convivência com colegas de diferentes níveis, nos laboratórios e nos grupos de pesquisa e, de um modo mais geral, através da participação em atividades promovidas na universidade, fora do âmbito de seu curso.

ÁREAS DE ATUAÇÃO O Parecer CNE/CES n.º 1.362, de 12 de dezembro de 2001 determina ainda que os Currículos dos Cursos de Engenharia deverão dar condições a seus egressos para adquirir competências e habilidades para:

a) Aplicar conhecimentos matemáticos, científicos, tecnológicos e instrumentais à engenharia;

b) Projetar e conduzir experimentos e interpretar resultados;

c) Conceber, projetar e analisar sistemas, produtos e processos;

d) Planejar, supervisionar, elaborar e coordenar projetos e serviços de engenharia;

e) Identificar, formular e resolver problemas de engenharia;

f) Desenvolver e/ou utilizar novas ferramentas e técnicas;

g) Supervisionar a operação e a manutenção de sistemas;

h) Avaliar criticamente a operação e a manutenção de sistemas;

i) Comunicar-se eficientemente nas formas escrita, oral e gráfica;

j) Atuar em equipes multidisciplinares;

k) Compreender e aplicar a ética e responsabilidade profissionais;

l) Avaliar o impacto das atividades da engenharia no contexto social e ambiental;

m) Avaliar a viabilidade econômica de projetos de engenharia;

n) Assumir a postura de permanente busca de atualização profissional.


As Diretrizes Curriculares dos cursos de Bacharelado em Ciência da Computação, Engenharia de Computação, Engenharia de Software e Sistemas de Informação e dos cursos de Licenciatura em Computação, em seu item XII, artigo 7º Competências e Habilidades Específicas dos Cursos de Bacharelado em Engenharia de Computação indica que, levando em consideração a flexibilidade necessária para atender domínios diversificados de aplicação e para a vocação das Instituições, o curso de Bacharelado em Engenharia de Computação deve possibilitar uma formação profissional que revele, pelo menos, as habilidades e competências para:

1. Conhecer e construir hardware, software e sistemas de comunicações e suas interações, seguindo teorias, princípios e métodos, técnicas e procedimentos da engenharia e da computação;

2. Realizar estudos, planejar, especificar, projetar, desenvolver, adaptar, aprimorar, industrializar, instalar e fazer a manutenção de sistemas de computação de propósito geral ou especifico, incluindo sistemas embarcados;

3. Conhecer os direitos e propriedades intelectuais inerentes à produção e à utilização de sistemas de computação;

4. Realizar estudos de viabilidade técnico-econômica;

5. Avaliar a qualidade de sistemas de computação; e

6. Gerenciar projetos, construir e manter sistemas de computação.


O exercício da profissão de Engenheiro, é regulamentada pela lei no. 5.194 de 24 de dezembro de 1966. As atribuições profissionais estão definidas no art. 7o e as atividades previstas para o exercício profissional, para efeito de fiscalização, estão regulamentadas pela resolução 218 do CONFEA de 29 de junho de 1973.

No progresso de sua carreira profissional, agregando experiência prática e aperfeiçoamentos realizados, os egressos deverão estar capacitados a assumir funções em diferentes níveis dentro das organizações, seja de execução, gerenciamento ou de direção, para as quais seguem algumas atividades e responsabilidades técnicas inerentes à função (diretor, administrador, gerente, projetista, coordenador, engenheiro, pesquisador, dentre outras):

• Desenvolvimento de Sistemas de Software;

• Planejamento de Capacidade e Projeto de Redes e/ou Sistemas de Telecomunicações;

• Manutenção de Software;

• Gerência, Operação e Manutenção de Sistemas de Redes

• Desenvolvimento e Gerenciamento de Banco de Dados;

• Especificar, projetar e implementar sistemas embarcados e controladores

• Projetar e desenvolver sistemas de processamento digital de sinais

• Projetar e desenvolver sistemas distribuídos, paralelos e concorrentes.

Os engenheiros de computação poderão atuar em áreas ligadas ao uso e desenvolvimento de computadores pessoais e de grande porte, redes locais, metropolitanas e de longa distância de computadores, comunicação entre e por computadores, visão computacional, inteligência artificial, pr

PERFIL DO PROFISSIONAL Segundo o Parecer CNE/CES n.º 1.362, de 12 de dezembro de 2001:

“O perfil dos egressos de um curso de engenharia compreenderá uma sólida formação técnico científica e profissional geral que o capacite a absorver e desenvolver novas tecnologias, estimulando a sua atuação crítica e criativa na identificação e resolução de problemas, considerando seus aspectos políticos, econômicos, sociais, ambientais e culturais, com visão ética e humanística, em atendimento às demandas da sociedade.”

Levando em consideração a flexibilidade necessária para atender domínios diversificados de aplicação e para as vocações das Instituições, espera-se que os egressos dos cursos de Engenharia de Computação da UEA sejam capazes de:

a. Absorver conhecimento em Ciência da Computação, Matemática e Engenharia Elétrica, visando o projeto de sistemas de computação, em particular, sistemas embarcados;

b. Ser reflexivos na construção de sistemas de computação por entender que eles atingem direta ou indiretamente as pessoas;

c. Entender o contexto social no qual a Engenharia é praticada, bem como os efeitos dos projetos de Engenharia na Sociedade;

d. Considerar os aspectos econômicos, financeiros, de gestão e de qualidade, associados a novos produtos e organizações;

e. Considerar fundamental a inovação e a criatividade e entendam de perspectivas de negócios e oportunidades relevantes.

SITUAÇÃO LEGAL ATO DE CRIAÇÃO: Absorvido pela UEA 01/08/2002 – Estatuto da UEA, art. 8, §4º; Resolução Nº 44/2012-CONSUNIV, DOE de 26/12/2012, pub. diversas, pg. 7.

ATO DE RECONHECIMENTO: Portaria MEC nº 356, 09 de março de 1994, DOU de 10/03/1994; RESOLUÇÃO Nº 120/99-CEE/AM, de 22/08/2000, DOE de 23/12/2002.

COORDENAÇÃO
NOME E-MAIL CARGO FONE FAX
RAIMUNDO CORREA DE OLIVEIRA RCOLIVEIRA@UEA.EDU.BR COORDENADOR